0 R$0,00

Nenhum produto no carrinho.

Quinta do Monte Xisto

Quinta do Monte Xisto

É difícil encontrar um enólogo que conheça tão bem as curvas, as encostas e as profundezas do Vale do Douro como João Nicolau de Almeida. Filho de um dos maiores protagonistas da região, Fernando Nicolau de Almeida, o mentor do Barca Velha, João cresceu cercado de gente do vinho. Seu tio José Ramos Pinto Rosas levou-o para a casa Ramos Pinto em 1976 e, desde 2001, João responde como diretor-geral dessa histórica empresa. É reconhecido também pelo projeto que identificou as cinco castas tintas mais aproprieadas para a região. Em 1998 conquistou o título Men of The Year da revista Wine & Spirits. Quem conhece os vinhos portugueses sabe que João Nicolau de Almeida pertence ao olímpo da enologia lusa.

Seja pelo DNA, a experiência acumulada ou o instinto visionário – ou por tudo isso combinado –, quando, em 1993, deparou-se com um terreno rochoso, um monte de xisto literalmente, parte com exposição a norte e parte a sul, percebeu que havia encontrado um oásis para grandes vinhos. Trata-se de um solo de xisto especial, com muitas fissuras verticais e mais argiloso. Levou doze anos para conseguir reunir parcela por parcela dos 40 hectares que hoje formam a Quinta do Monte Xisto. Já com dois filhos formados em enologia, Mateus, proprietário da Muxagat, e João, encorajou-se no ínicio do milênio a plantar os vinhedos e a semear um projeto de cunho familiar. A filosofia de cultivo é orgânica com princípios da biodinâmica.

Fazer um vinho topo de gama leva tempo e João e seus filhos não tinham pressa. Lançaram o Quinta do Monte Xisto na colheita 2011, quando toda a família aprovou o corte final com Touriga Nacional e Francesa e uma pequena dose de Sousão. As 3,5 mil garrafas produzidas na primeira safra, com certeza, deixarão muita gente na vontade. O vinho promete ser muito disputado devido ao enorme sucesso que já alcançou. As mais importantes publicações especializadas portuguesas indicaram o Quinta do Monte Xisto 2011 sempre no topo, entre os grandes tintos do país: entrou para as listas Melhores do Ano 2014 de João Paulo Martins e Melhores do Ano da Wine-Essência do Vinho 2013, mereceu ainda o Prêmio de Excelência da Revista de Vinhos e foi indicado entre os 50 Vinhos para Beber em 2014 da revista Visão.